Alimentação Contemporânea

Durante as últimas décadas, a desnutrição apresentada pela população brasileira teve uma acentuada queda, enquanto que o sobrepeso e a obesidade tiveram sua prevalência aumentada.

O aumento no consumo de açúcar, refrigerantes, carnes e embutidos e a redução no consumo de frutas, verduras, legumes e cereais integrais, modificou drasticamente o padrão alimentar dos brasileiros.

Essas mudanças nos hábitos das famílias brasileiras devem-se ao crescimento da indústria de alimentos, fortes campanhas publicitárias, aliados ao trabalho das mulheres fora de casa, o que provocou o aumento no consumo de alimentos industrializados, congelados, enlatados e refrigerantes.

Hábitos alimentares regionais e baseados nas culturas e tradições trazidas pelos imigrantes que colonizaram o país foram substituídos.

Outras situações da vida contemporânea trouxeram redução dos níveis de atividade física. Aqui me refiro atividade física aquela que fazia parte do cotidiano das pessoas como, por exemplo, lavar roupa no tanque, caminhar para pegar transporte, ir para o trabalho de bicicleta, crianças brincando de pular corda, subindo em árvores…

A vida moderna nos trouxe automóveis, metrôs, computadores, controle remoto, elevadores, escadas rolantes, máquinas de todos os tipos para atividades domésticas.

A modernidade trouxe também facilidades na comunicação. Diariamente somos bombardeados com receitas, soluções milagrosas para controlar o peso, melhorar o diabetes, a pressão alta e colesterol. Alimentos funcionais são recomendados, sucos, chás, pílulas, dietas de todos os tipos: com proteína, sem carboidratos, do mediterrâneo, dos pontos…

A Organização Mundial da Saúde recomenda a diminuição do consumo de gorduras, principalmente gorduras trans e gorduras saturadas, substituindo por óleos vegetais (de soja, milho, canola, arroz), aumento do consumo de frutas, hortaliças, legumes, cereais integrais e redução do consumo de açúcar e sal.

Alimentação inadequada associada ao sedentarismo tem uma relação direta com o aumento da prevalência de obesidade, doenças cardiovasculares, câncer, diabetes e pressão alta.

Uma alimentação saudável pode ser realizada de forma simples, barata e acessível pela população, através da utilização de alimentos “in natura”, alimentos da safra, produzidos regionalmente, onde com certeza estaremos adquirindo de forma mais econômica alimentos de excelente qualidade nutricional.

Comendo pequenas porções, evitando alimentos industrializados, excesso de gordura, sal e açúcar, servindo-se ou preparando uma refeição colorida, estaremos praticando uma alimentação saudável. Tomar água é fundamental para uma boa hidratação.

Nutricionista Sandra Evers – CRN-2/0390
Nutricionista do Ambulatório do Hospital Nossa Senhora da Conceição
Grupo Hospitalar Conceição – Ministério da Saúde
Sandra.evers@gmail.com.br
Anúncios

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s